Jesus ressuscitou e vive para sempre

Jesus ressuscitou e vive para sempre

10 de abril de 2017

Celebrando Sêder de Pessach

Sêder de Pessach

14-21 Nisan 5777 - calendário judaico
10-17 abril 2017 - calendário gregoriano



*Acendimento das velas – o que deve ser feito por uma mulher e recita-se uma brachá ou berakhá(benção).
“Baruch Atá Adonai Eloheinu Mélech Há’olam Ashêr Kidshanu Bidevaro Uvishmô Anáchnu Madlikim Hanerôt Shel Iom Tôv. B’Shem Yeshua Há Mashiach. Amém”.
“Bendito sejas Tu, Senhor nosso D’us, Rei do Universo, que nos separou por tua palavra, e em cujo nome acendemos as luzes deste dia especial. Em nome de Yeshua o Messias. Amém”.


*Kadesh (o copo da santificação) levanta-se o primeiro cálice de vinho e recita-se a brachá (benção)
“Baruch Atá Adonai Eloheinu Mélech Há’olam Borê Pri Hagáfen. B’Shem Yeshua Há Mashiach. Amém “.
“Bendito sejas Tu, ó Senhor nosso D’us, Rei do Universo, que cria o fruto da vide. Em nome de Yeshua o Messias. Amém”.

*Urchátz – Lavagem das mãos
*Karpás (salsão) – ergue-se a karpás e copo com a água salgada e recita-se uma brachá (benção)
“Baruch Atá Adonai Eloheinu Melech Há’olam Borê Pri Há’adamá. B’Shem Yeshua Há Mashiach. Amém”.
“Bendito sejas Tu, Senhor nosso D’us, Rei do Universo, que cria o fruto da terra. Em nome de Yeshua o Messias. Amém”.
Come-se então a Karpás (salsão) mergulhado na água salgada em memória as lágrimas de sofrimento do povo hebreu durante o tempo de escravidão.


*Yachátz -A quebra do Matzá

 dos três Matzá colocado a mesa, retira-se o do meio e quebra-se ao meio, volta-se uma parte para o meio , e a outra metade enrola-se num pano e esconde-se em algum lugar da casa para que no final alguma criança da casa a procure e a encontre para ser comido pelos participantes do seder. A essa metade que é escondida chamamos de afikoman (termo grego que significa venho ou chego).

*Magid - lembra-se a história do Exôdo , juntamente com a ordenança de celebração de Pessach, e uma criança faz quatro perguntas :
 1ªMá nishtaná haláila hazê mikôl haleilôt ? Shêbechol haleilôt anu achlin chamêtz umatzá, Haláila hazê kulô matzá?
2ªShebechol haleilôt anu achlin she’ar yerakôt , Haláila hazê kulô marôr?
3ªShebechol haleilôt anu matbilin afilu pa’am achat , Haláila hazê sh’tei peamim?
4ªShebechol haleilôt anu achlin bein ioshvin uvein mesubin, Haláila hazê kulanu mesubin ?

1ªPor que essa noite é diferente de todas as outras? Todas as outras noites comemos pão ou matzá. Por que nessa noite só comemos matzá?
2ªTodas as outras noites comemos todo tipo de vegetal. Por que nessa noite só comemos ervas amargas ?
3ªTodas as outras noites nós não molhamos nosso pão nenhuma vez. Por que nessa noite nós molhamos duas vezes ?
4ªTodas as outras noites comemos nossa comida sentados ou reclinados. Por que nessa noite nós só comemos reclinados ?

Bebe-se o segundo cálice, antes porem pronuncia-se a brachá (benção)
“Baruch Atá Adonai Eloheinu Mélech Há’olam Borê Pri Hagáfen. B’Shem Yeshua Há Mashiach. Amém”.
“Bendito sejas Tu, ó Senhor nosso D’us, Rei do Universo, que cria o fruto da vide. Em nome de Yeshua o Messias. Amém”.

Rachtzá - lavagens das mãos (lavamos pela segunda vez)

Agora lavamos as mãos e recitamos a brachá (benção), jogamos a água  primeiro três vezes na mão direita e três vezes na mão esquerda, então pronunciamos a brachá (benção)
“Baruch Atá Adonai Eloheinu Mélech Há’olam Asher Kidshânu Bemitzvotáv Vetzivânu al Netilát Yadáim. Amém .”
“Bendito sejas Tu, Senhor nosso D’us, Rei do Universo que nos santificaste pelos teus mandamentos e nos ordenaste a lavagem das mãos. Amém .”

Motzí Matzá – A Benção do Matzá

O chefe da casa segura nas mãos as três matzôt e recita a brachá (benção) e em seguida elas são partidas e distribuídas aos participantes.
1ªbrachá(benção) “Baruch Atá Adonai Eloheinu Mélech Há’olam Hamotzí Léchem Min Há Áretz. Amém.”
“Bendito sejas Tu, senhor nosso D’us, Rei do Universo, que tira o pão da terra. Amém.”
Todos:
2ªbrachá(benção) “Baruch Atá Adonai Mélech Há’olam Asher Kideshânu Bemitzzvotáv Vetzivanu al Achilát Matzá. Amém.”
“Bendito sejas Tu, Senhor nosso D’us, Rei do Universo, que nos santificastes pelos teus mandamentos e nos ordenaste a comer o Matzá. Amém.”

Marôr – Ervas amargas (Almeirão ou escarola)

Com a erva amarga nas mãos faz-se uma brachá (benção), e em seguida comemos em memória as amarguras vivida pelo povo hebreu como escravos no Egito. E nós como talmidim de Yeshua nos lembramos de como erámos antes de sermos alcançados pela sua graça através da salvação do pecado e da morte, e hoje resgatados e libertos vivemos uma nova vida por meio do Mashiach que nos aproximou do Eterno.
“Baruch Atá Adonai Eloheinu Mélech Há’olam Asher Kidshanu Bidevarô Vetzivanu Al Achilat Marôr. B’Shem Yeshua HáMashiach. Amém.”
“Bendito sejas Tu, Senhor nosso D’us, Rei do Universo, que nos separou por tua palavra e nos ordenou comer ervas amargas. Em nome de Yeshua o Messias. Amém.”

Kôrech – O sanduiche de Matzá

Fazemos um sanduiche com matzá, ervas amargas(marôr,Chazêret) e charôsset (pasta doce de maçã ou nozes),
Nos lembramos que assim como o povo de escravos no Egito foi conduzido por Moshê (Moisés) a uma terra onde mana leite e mel , aquilo que era amargo (escravidão) torna-se doce (libertação),  mesmo nos momentos mais difíceis podemos ter a esperança  da salvação em um D’us Todo Poderoso que nos ama através do Mashiach Yeshua.

Shulchan Ôrech – realiza-se nesse momento o Sêder de Pessach (Jantar)

Recita-se a brachá (benção) “Baruch Atá Adonai Eloheinu Mélech Há’olam she há col nihiá bidvarô. Amém.”
“Bendito sejas Tu, Senhor nosso D’us , Rei do Universo, que tudo fizeste existir por sua palavra. Amém”
Todos : Beteavôn. Bom apetite !

Tzafun – Afikoman escondido é encontrado por uma das crianças e trazido a mesa, e será nossa sobremesa, como o ultimo alimento a ser ingerido, como fez o nosso Mashiach Yeshua ao final do Sêder (jantar). “E depois de dizer uma brachá (benção) o partiu e disse: “Este é o meu corpo, que é para vocês. Façam isto como um memorial para mim”(ICor.11:24).
“Baruch Atá Adonai Eloheinu Mélech Há’olam Hamotzí Léchem Min Há Aretz. B’Shem Yeshua HaMashiach. Amém”.
“Bendito sejas Tu, ó Senhor nosso D’us, Rei do Universo, que tira o pão da terra. Em nome de Yeshua o Messias. Amém”.

Neste momento levanta-se o terceiro cálice de vinho, símbolo de salvação através do sangue do Cordeiro de Pessach que os livrou do juízo sobre o Egito, Yeshua o Mashiach, o nosso Cordeiro Pascal.  “Este cálice é a Nova Aliança realizada pelo meu sangue; façam isto, todas as vezes que o beberem, como memorial para mim”.(ICor.11:25).
Recita-se a brachá (benção) “Baruch Atá Adonai Eloheinu Mélech Há’olam Borê Pri Hagáfen. B’Shem Yeshua HáMashiach. Amém”.
“Bendito sejas Tu, ó Senhor nosso D’us, Rei do Universo, que cria o fruto da vide. Em nome de Yeshua o Messias. Amém”.

Kôs Eliáhu – Cálice de Elias
Enchemos o quarto e último cálice, uma criança nesse momento abre a porta como dando boas vinda a Elias, como alusão ao retorno do Mashiach.

Hallel – É recitado louvores através dos salmos 113-118 (pode-se recitar os dois primeiros antes do sêder, e os outros quatro ao final). Ao final  todos levantando seus cálices  voltam  a recitar a benção do vinho acima.
 Terminamos recitando a frase , “Leshaná Habaá Birushalayim” “Ano que vem na nova Jerusalém”.

Chag Pessach Sameach !!!